A curta vida de um peixe...

O Francisco adora peixe, e adora peixinhos. Vai daí, na semana passada foi dormir a casa dos avós babados, que estão sempre prontos para o receber, e resolvi fazer-lhe uma surpresa para quando o viessem trazer. Comprei dois peixinhos! Aquário tradicional não tinha, mas utilizei uma jarra muito bonita que nos ofereceram como presente de casamento. Coloquei umas pedrinhas, conchas e "voi lá"! Habemos aquário com peixinhos!

Escusado será dizer que o baby adorou, que passava tempos infinitos a olhar para os peixes e ora dizia "peixe!", ora dizia "humm..." (seria este "hum" um presságio de que algo poderia correr mal...)

Passou a fazer parte da nossa rotina da manhã, acordar tomar o pequeno almoço e dar o pequeno almoço aos peixinhos. Acontece que, o Francisco vai à sala dizer bom dia aos peixes e.... "Num tem...!!

Como assim, num tem?! Filho, ainda estás com sono e não estas a ver os peixinhos...! Lá fui eu dizer que estavam lá. ams que estavam escondidos, mas qual não é o meu espanto quando chego à sala e realmente "num tem!!" . Onde estavam os peixinhos?? Teriam dado o grito do epiranga e descoberto que a vida "fora de 4 vidros" é que era fixe? Teriam aproveitado a chuva lá fora e ido nadar no exterior? Ou teria sido o gato...sim o gato, que desde o 1º dia que andava a rondar o aquário, só que eu não imaginei que tivesse um assasino de 4 patas em casa!

Final da triste história, o gato papou os peixes, plo menos tudo aponta para isso e desde aí tenho que dizer que os peixinhos foram dar um passeio... O homem ainda quer que volte a comprar peixinhos, mas eu não tenho carteira para andar a manter um gato a peixes de aquário! Mais valia manter um  burro a pão de ló, que é quase a mesma coisa!

Modificado emsábado, 11 fevereiro 2017 11:23
(1 Vote)
Ler 977 vezes

Mais nesta categoria:

« Auto dos Reis Magos

Deixe um comentário